A luta anti sexista das meninas do Anchieta e a reação sexista da mídia sexista (cóvis veronez)

Sexy
As redes sociais foram invadidas, hoje (27), por publicações desfavoráveis ao movimento das meninas do colégio Anchieta de Porto Alegre. Tal movimento, ocorreu em razão da expulsão da sala de aula de uma delas, pelo fato de que “estivesse” usando trajes provocativos ( a quem?). Movimento construído de forma politizada, no melhor sentido que possa ter a expressão, ou seja, a política como prática pedagógica objetivando revelar a falência de valores e comportamentos de uma sociedade machista e sexista, mais, que procura naturalizar tais comportamentos.
introdução da carta das meninas a direção do colégio
Nós, alunas do ensino fundamental e médio do Colégio Anchieta de Porto Alegre, fazemos uma exigência urgente à direção. Exigimos que a instituição deixe no passado o machismo, a objetificação e sexualização dos corpos das alunas; exigimos que deixe no passado a mentalidade de que cabe às mulheres a prevenção de assédios, abusos e estupros; exigimos que, ao invés de ditar o que as meninas podem vestir, ditem o respeito. 
(texto completo aqui:http://www.observatoriopelotas.com.br/2016/02/26/meninas-do-anchieta-na-ferida-change-org/)
Texto de um, entre tantos posts, de mesmo teor no dia de hoje
Andre Burger - Parece que Porto Alegre está em outro planeta ou no mínimo em outro país. O Brasil vivendo uma das piores crises de sua história e a capital gaúcha uma onda de violência nunca vista. Os problemas da cidade são vários e se acumulam, no entanto, a grande discussão local é se as estudantes do Colégio Anchieta podem ir as aulas de short.
 Isso mostra bem a esquizofrenia do porto-alegrense. Ora o Anchieta é um colégio de orientação religiosa e principalmente privado. Cabe a ele definir como os alunos devem se comportar e vestir. Se estipularem que é de batina assim deve ser, os incomodados que busquem outra escola.
 Cada um decide as regras na sua casa (propriedade) e naturalmente deve arcar com as consequências disso. Se as meninas gaúchas acham que é mais importante andar de short que estudar naquela escola que busquem uma que aceite isso.
 E vamos discutir o que interessa, que certamente não é uma bunda adolescente.

O texto tem como ilustração essa fotoSexy

 

A foto da manifestação é estaMeninas
Se parecem?  A resposta é não.
No seu conjunto os posts contrários reafirmam os valores culturais (inclusive estéticos) contestados pelas meninas
Do que elas falaram? Falaram de sexismo e machismo, então vai ai uma definição possível:

Para a Psicologia, o sexismo é um ideário,construído social, cultural e político onde um gênero,orientação sexual tenta se sobrepor ao outro.

Existem duas assunções diferentes sobre as quais se assenta o sexismo:

Um gênero é superior a outro.
uma orientação sexual é superior a outra
Mulher e homem são profundamente diferentes (mesmo além de diferenças biológicas), e essas diferenças devem se refletir em aspectos sociais como o direito e a linguagem.
Em relação ao preconceito contra mulheres, diferencia-se do machismo por ser mais consciente e pretensamente racionalizado, ao passo que o machismo é um muitas vezes um comportamento de imitação social. Nesse caso o sexismo muitas vezes está ligado à misoginia (ódio às mulheres).

Ah! Fui ver de onde vinha a foto utilizada para desqualificar o movimento (no google)
Tamanho da imagem:
474 × 296
Encontrar esta imagem em outros tamanhos:
Todos os tamanhos – Médio – Grande
Melhor sugestão para esta imagem: hotpants  Dá-lhe Garotas!

 

Um comentário

  • Pergunte aos garotos, colegas homens, se eles se sentem incomodados com o uso dos ‘shortes’ pelas garotas. Claro que não!
    Quem reprime, fica incomodadas, são elas mesmas mas as que não podem ou não se sentem a vontade para o mesmo daí querem proibir os outros. Invejosas!
    Deixem as garotas andarem do jeito que bem entenderem. O corpo é delas.
    Se sofrem abusos, piadas, etc… daí é contra isso que devem lutar.
    Caras com juízo perturbado, insensatos tem aos montes, assim como há mulheres também.
    É esse tipo de gente é que temos que evitar, combater e começar dentro da escola.
    Ignorância se combate com educação. Cidadãos de verdade se forma com respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *