Frente Brasil Popular no RS confirma manifestação em defesa da democracia e contra o golpe na Praça da Redenção no dia 13

OBSERVATORIO-CLOVIS

FBP na CUT1

Em plenária realizada no último sábado, dia 5, no auditório da CUT-RS, as entidades que compõem a Frente Brasil Popular no Rio Grande do Sul confirmaram a realização de uma manifestação no próximo domingo, dia 13, às 14h, em frente ao Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, em Porto Alegre. A reunião contou com a participação dos deputados federais Paulo Pimenta e Dionilso Marcon, do deputado estadual Adão Villaverde e do ministro do Trabalho e da Previdência Social, Miguel Rosseto.

O objetivo foi avaliar a conjuntura e definir novos encaminhamentos na luta contra os ataques ao ex-presidente Lula, em defesa da democracia e contra o golpe. Além de repudiar o circo midiático e a operação jurídica de condução coercitiva  de Lula para depor na Polícia Federal, o que foi descabido e rasgou a Constituição, as entidades consideraram muito positiva e bem animadora a resposta imediata dada pelos movimentos sociais à nova ofensiva contra o ex-presidente.

Em poucas horas, as entidades conseguiram organizar várias atividades de resistência e mobilização. Na capital gaúcha, houve vigília na Esquina Democrática e passeata nas ruas do centro, que reuniu cerca de 3 mil pessoas. Em outros estados, ocorreram igualmente manifestações, passeatas, plenárias e protestos, alguns com enfrentamentos diante das provocações de “coxinhas”.

“Acabou a brincadeira”, reafirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo. “Está em curso um golpe e, para impedi-lo, é fundamental ganhar a disputa nas ruas, pois os golpistas, comandados diariamente pela grande mídia, liderada pela Globo e RBS, querem acabar com o mandato legítimo da presidenta Dilma e tirar o Lula das eleições de 2018, a fim de retomar a velha agenda neoliberal, que consiste em derrubar os avanços sociais dos últimos anos e cortar direitos dos trabalhadores”, alerta Claudir.

Ele destaca a importância da participação ativa dos trabalhadores do campo e da cidade, das mulheres, da juventude, dos negros e dos movimentos sociais comprometidos com as transformações sociais. “O presente e o futuro do projeto de democracia com inclusão social e cidadania para milhões de brasileiros, construído nos governos Lula e Dilma, está em jogo e não podemos aceitar retrocessos, mas precisamos manter as conquistas e seguir avançando”, ressalta o presidente da CUT-RS.

Claudir falando1

Vigília com ato público na Esquina Democrática nesta sexta (4), em Porto Alegre. Foto: CUT-RS

Encaminhamentos

Após as avaliações e os debates qualificados, as entidades ratificaram a manifestação agendada para o dia 13, como também reforçaram a realização das demais atividades já programadas.

Confira o calendário de luta:

 – segunda, 7 de março: encontro de advogados gaúchos em defesa da legalidade, da Constituição, da democracia e contra o golpe, às 17h, na Assembleia Legislativa;

– terça, 8 de março, Dia Internacional das Mulheres: participação na Marcha das Mulheres, com concentração às 17h, na Praça da Alfândega, no centro de Porto Alegre;

– domingo, 13 de março: manifestação em defesa de Lula e da democracia e contra o golpe, às 14h, no Monumento ao Expedicionário, no Parque da Redenção, em Porto Alegre;

– sexta, 18 de março: ato nacional da Frente Brasil Popular em capitais e grandes cidades do país em defesa de Lula e da democracia e contra o golpe;

– quinta, 31 de março: dia nacional de luta em defesa de Lula, da democracia e golpe nunca mais.

A preparação das atividades estará a cargo de um comitê permanente da Frente Brasil Popular, que providenciará carro de som e materiais de divulgação, dentre outras atribuições.

Haverá também contatos com entidades e representações políticas que têm história de lutas em defesa da legalidade, da Constituição e da democracia, visando ampliar o movimento de resistência e mobilização contra o golpe.

“Os gaúchos que se levantaram em vários momentos da história contra os golpistas, como em 1961 e 1964, tem a tarefa de somar forças outra vez no movimento nacional de luta que busca proteger os direitos e as conquistas do povo brasileiro e preservar a democracia”, aponta Claudir.

Não vai ter golpe 0403

Após vigília, passeata nas ruas do centro até o Largo Zumbi dos Palmares em Porto Alegre. Foto: Sul21

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *