PF pediu apoio a Cunha: que país é esse?

OBSERVATORIO-CLOVIS

 

Via O Globo 

Menos de uma semana depois de virar réu no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), recebeu dezenas de delegados da Polícia Federal em seu gabinete no inicio de marça. Os profissionais vieram lhe pedir apoio na tramitação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que dá autonomia funcional, administrativa e financeira para a corporação. A inusitada presença de delegados no gabinete de um réu gerou comentários irônicos até de deputados que dão apoio ao peemedebista.

“Você viu? Tem um monte de PF na sala dele e não vieram para levar o Cunha!”, disse um dos principais aliados do presidente.

O encontro foi organizado pelo deputado Fernando Francischini (SD/PR), que teria sido citado na delação premiada do senador Delcídio Amaral (PT/MS), de acordo com trecho publicado pela revista IstoÉ. Francischini é delegado da PF e também brincou quando foi questionado se o agente Newton Ishii, mais conhecido como “Japonês da Federal”, estava entre os presentes.

“O japonês hoje não veio. Ele tem que cuidar das coisas dele lá no Paraná”, disse Francischini.

Presidente da Associação Nacional de Delegados da Polícia Federal, Carlos Eduardo Miguel Sobral, disse não ter constrangimento em pedir apoio a um réu na Lava-Jato para conseguir levar adiante a pauta de sua classe.

“Não há constrangimento nenhum. Ele é o presidente da Câmara, representa um poder e nessa qualidade foi visitado”, disse Sobral.

Cunha se comprometeu a instalar a comissão especial. Antes, porém, caberá à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) votar pela admissibilidade da proposta de autonomia para a PF. O presidente da Câmara evitou avançar na opinião sobre o mérito do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *