O plano Temer é uma gigantesca pedalada (clóvis veronez)

pedal 2

Transformar o superavit anunciado em rombo, foi a fraude do governo Temer.

Em resumo isso representa o aumento do limite de gastos do governo. Gastar mais sem receita prevista. É “pedalada”!

Se fosse só isso, se os gastos representassem aumento de recursos para o atendimento das demandas sociais, não seria nada. Porém, ao contrário, o pacote golpista aponta para o saciamento da sede do mercado…

Desmonte-se o Estado e suas politicas sociais, esvazie-se os bancos públicos. Eis a ordem emanada do governo usurpador.

O objetivo final é sinalizar aos bancos que o governo golpista privilegiará os financiamentos a partir do setor privado, especialmente, os de infra estrutura.

Com juros mais altos, o empreendimento fica mais caro e isso é revertido no valor repassado ao consumidor, no preço de tarifas de passagens, pedágios e conta de luz, por exemplo.

Temer apresentou ainda a extinção do Fundo Soberano do Pré-sal. A “poupança”, criada em 2008 , tinha como objetivo servir de uma garantia aos projetos e investimentos “de interesse estratégico”.

Pela proposta de Temer, a decisão é “imediata” e vai impactar ainda no Banco do Brasil (BB). Isso porque, para acabar com o Fundo Soberano, é preciso vender ações do BB. Tão logo a ideia foi anunciada, as ações do banco caíram até 4,5%.

Outra medida que atinge diretamente o interesse público é aprovar um projeto, que já passou pelo Senado, para que a Petrobras não seja a única operadora em projetos ligados à exploração do Pré-sal, além de contar com pelo menos 30% de participação quando houver a formação de grupos de exploração dos recursos.

As mudanças na Petrobras põem em risco a soberania nacional na administração de recursos estratégicos para o Brasil.

Além disso, Meirelles voltou a afirmar que existe a possibilidade de aumento de impostos no futuro, como já havia sinalizado quando tomou posse. Em outra frente, o governo golpista vai acabar com a política de valorização do salário mínimo.

As mudanças na economia serão reunidas e encaminhadas ao Congresso Nacional nas próximas semanas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *