Alienação, passagem da tocha olímpica e a guerra das bexigas (clóvis veronez)

guerra

A luta pela emancipação humana é fundamentalmente uma luta contra a alienação.

Politizar é cuidar da vida coletiva, trabalhar na formação política dos indivíduos pela sua conscientização e a realidade que a cerca.

Entre o ser politizado e o despolitizado está a alienação, a falta de consciência entre nós e o mundo.

A praça é espaço de festa e manifestação, reivindicação e fabulação, punho cerrado e abraço apertado, para palavras de ordem e sorrisos, dança e beijos, para a luta e para a arte, o amor e uma guerrinha de bexigas.

A guerra de bexigas, em praça pública, é uma recepção diferenciada para a tocha, sem o véu da farsa histórica, ao contrário, objetivando o seu desmonte simbólico.

Sim o enfrentamento que nos cobra a história é simbólico, comunicativo e comportamental.

Isso, não tem nada a ver com menosprezo ao ideal olímpico da fraternidade e união entre os povos, com a celebração desta união.

Tem, sim, a ver com o tempo de sua negação, esse nosso tempo.

O tempo brasileiro do golpe, da intolerância, do ataque aos direitos sociais e individuais.

O tempo de retrocesso, violência e contra-civilização para o qual não nos inclinamos nem admitimos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *