Farsa: o último ato no teatro do golpe (clóvis veronez)

farsa
Para Anastasia, Dilma cometeu ilegalidade e deve ir a julgamento final. É o argumento derradeiro para a efetivação do golpe brasileiro.

Pasmem: Atentado a constituição é a palavra chave para o seguimento do processo de impeachement lá no senado.

Para Anastasia, Dilma cometeu um “atentado à Constituição” ao praticar as chamadas “pedaladas fiscais” (atraso de pagamentos da União a bancos públicos para execução de despesas) e ao editar decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional.

O TCU considerou regular tais procedimentos adotados pela chefe do Executivo, assim como o fez quando ações similares foram praticadas por muitos dos ex-chefes do Executivo anteriores.

Mantendo-se a confiança na jurisprudência anterior do TCU, não pode, Dilma, ser condenada por fazer justamente o que era permitido pela referida jurisprudência anterior.

Os grande juristas, como Dalmo Dallari, dizem que não há crime.

Alguns perguntarão: Quem é Dalmo Dallari comparado a Janaína Paschoal?

Mas, neste caso, pertinente seria considerar argumento do Ministério Público Federal que diz: ‘Aqui não houve dolo, não ha crime, então aconselhamos engavetar o processo’.

Assim, resta para a compreensão do que se passa, apenas a definição do um gênero dramático – A FARSA.

“Pequena peça cômica popular, de concepção simples e de ação trivial ou burlesca, em que predominam situações ridículas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *