Dilma e a carta (clóvis veronez)

a carta

A divulgação, ontem, da carta anunciada e tão aguardada faz meses, pela agora cassada presidenta Dilma, do ponto de vista político não causa nenhum efeito.

Só lamento!

Estive, desde o início do do processo de impedimento, assim como a maioria da população brasileira, reconhecendo que o caminho para a resolução da crise de legitimidade política brasileira, passaria pela “vontade geral” expressa em novas eleições.

O argumento do “Golpe” e da convocação do plebiscito, no momento presente, perdeu seu caráter mobilizador. É parte de uma estratégia futura e renúncia dissimulada.

Importante apenas para tentar  salvar a “estória” de Dilma e o discurso vitimista do PT no futuro.

Não vai ter golpe, houve golpe?

Vai ter luta, houve luta?

Cartas não adiantam mais…

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *