Desvendando Moro III (Elio Gaspari na Folha)

moro

 

(…)

Moro tem todo o direito de achar que o professor atacou-o com “estereótipos e rancor”, mas foi com estereótipos e rancor que respondeu. Cerqueira Leite fez um paralelo histórico e Moro não discutiu uma só virgula do artigo. Lamentou que o jornal publique coisas desse tipo e, pior, que mantenha o professor no seu conselho editorial. Despediu-se ensinando: “A publicação de opiniões panfletárias-partidárias […] deveriam ser evitadas”. Como? Savonarola publicava seus sermões e queimava os dos outros.

Moro viu demônios quando disse que Cerqueira Leite chegou “a sugerir atos de violência contra o ora magistrado”. O papismo dizia que Savonarola era doido, mas o professor não sugeriu que se enforque o “ora” magistrado. Moro se queixa de que a comparação com Savonarola não teve “base empírica”. O que isso quer dizer, não se sabe.

O artigo de Cerqueira Leite foi mais uma opinião no grande debate aberto pela Operação Lava Jato. A contrariedade de Moro produziu uma surpresa: há algo de Savonarola no seu sistema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *