MBL: os fascistinhas de plantão

mbl

(da gazeta do povo)

Críticos de ocupações pedem violência da PM, ditadura e elogiam torturador

 

Na noite da quinta-feira (27), o Movimento Brasil Livre (MBL) fez uma manifestação em frente ao colégio estadual Lysimaco Ferreira da Costa, no Água Verde, pedindo a desocupação da escola.

Assim como centenas de outros colégios no estado, o Lysimaco está tomado por estudantes que contestam a reforma do ensino médio proposta pelo governo Michel Temer (PMDB) via Medida Provisória.

A manifestação do MBL foi transmitida ao vivo pela internet na página do coordenador local do movimento, Éder Borges. Durante os 32 minutos de transmissão, milhares de pessoas assistiram e comentaram a tentativa de desocupação, que foi frustrada.

Nos comentários, além de críticas à APP, sindicato que apoia a mobilização dos estudantes, e ao PT, houve uma série de pedidos para que os estudantes fossem retirados, inclusive com violência. Houve pedidos para que a PM entrasse, inclusive atirando.

Outros comentários não se referiam especificamente à PM, mas também defendiam a violência contra os estudantes.

Houve comentários ainda mais agressivos, pedindo a morte dos estudantes da ocupação.

Houve quem tenha aproveitado o momento para fazer campanha por Jair Bolsonaro para a Presidência da República.

E houve quem tenha pedido a volta da ditadura militar.

Por fim, não faltou quem lembrasse a memória do mais famoso torturador da ditadura.

            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *