Nada de novo sob a treva da política brasileira (clóvis veronez)

observatorio-clovis

Nas últimas semanas, Renan Calheiros tem subido o tom contra as reformas do governo golpista. Ontem, ele chegou a dizer que, “se continuar como está, o governo vai cair para um lado e o PMDB para o outro”.

Nessa farsa multifacetada que se tornou o obscuro cenário da política brasileira, existem alguns canastrões que de tão emblemáticos transcendem os seus próprios limites pessoais.

Renan Calheiros é um deles. É um clássico exemplar desse tipo de político. Mais do que os seus próprios valores, suas atitudes refletem os valores de seu próprio partido, o PMDB. O fisiologismo, a ganância, a ausência de pudores, uma vocação pedante para a traição. Renan não poderia estar em outro partido. O fisiologismo é uma praga do modelo político brasileiro uma esparrela viva para os golpistas e, também, para a resistência do campo popular.

Renan, não se enganem os mais afoitos, não amplia a legitimidade da luta popular em curso.

O conceito de legitimidade política propõe uma discussão sobre a democracia e sobre a política. Ou melhor, sobre as possibilidades de que a democracia resgate o sentido da política.

O conceito de legitimidade política contém uma afirmação de princípio, aliás essencial a todo pensamento autenticamente democrático, qual seja a do primado da razão histórica sobre a razão instrumental.

Abre o olho, cari, Renan é um problema dos traidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *