Cozinhar o galo… (clóvis veronez)

o galo

Depois de negar a Lula a transferência da audiência do dia 3 de maio, solicitada em função do falecimento de Marisa Letícia http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2017/02/moro-nao-aceita-adiar-audiencias-de-lula-por-causa-da-morte-de-d-marisa.html, o juiz Sérgio Moro, alegando a necessidade de reforçar a “segurança”, transferiu a oitiva para o dia 10 de maio.

Carolina Bahia (rádio gaúcha), no entanto, apontou uma motivação diferente na atitude de Moro. Segundo ela, o que determinou a transferência foram os novos fatos apurados nas delações da Odebrecht e, especialmente, na da OAS.

O processo em que Lula será ouvido é relacionado ao episódio do tríplex em Guarujá, litoral de São Paulo, em que o ex-presidente é acusado de ter recebido vantagens indevidas da empreiteira OAS.

As “provas” apresentadas por Léo Pinheiro, segundo a Folha SP, são comprovantes da passagem de carros pertencentes ao instituto Lula pelo pedágio, na direção de Guarujá (dois entre 2011 e 2013) e, também registro de ligações entre a empreiteira e pessoas ligadas a Lula que, parece, não esclarecem o conteúdo das conversas.

Do ponto de vista da ação, irrelevantes.

A documentação anexada é insuficiente para incriminar o ex presidente, tanto que Moro teria resolvido, segundo a jornalista do grupo RBS, ” cozinhar o galo”.

Assim, fica adiado o encontro do “galo” com seu algoz cozinheiro. O perigo, aqui, é que termine o gás e o galo ainda vivo, pule para fora da panela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *