Cultura: Em POA, Mostra gratuita de filmes discute realidade das mulheres africanas

Exibições ocorrem de 15 a 19 de maio, das 16h às 19h, na Sala Redenção da Ufrgs

Filme

Filme “Tão Longe é Aqui” foi feito por Eliza Capai a partir das memórias colhidas em uma viagem pela África | Foto: Cinema Universitário Ufrgs / Divulgação / CP

Mulheres vivendo em sociedades marcadas por desigualdades sexuais e de gênero são tema da mostra “Entre as Ruas e as Telas: Mulheres Africanas em Perspectiva”, da Sala Redenção (Paulo Gama, 110). De 15 a 19 de maio serão exibidos filmes, às 16h e às 19h, cedidos pela Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e pela diretora Eliza Capai. Entrada franca.

Ausentes por muito tempo nos discursos oficiais em seus países, as mulheres africanas rompem o silêncio e irrompem nas telonas, mostrando suas lutas, experiências e grande capacidade de resistência. O evento ocorre na semana que antecede a 5ª Semana da África na Ufrgs, cujo tema será “Gênero e Participação Feminina”.

“Tão Longe é Aqui” traz as impressões, sentimentos e incompreensões de Eliza Capai na longa viagem que fez a Cabo Verde, Marrocos, Mali, Etiópia e África do Sul. Reflexões da cineasta sobre padrões culturais que interferem nas relações de gênero são focados. “Virgem Margarida”, de Licínio Azevedo, traz a realidade de Moçambique a partir do regime implantado em 1975. “O Jardim do Outro Homem”, de Sol de Carvalho, fala da luta de uma jovem de 16 anos, assediada pelo professor, possivelmente soropositivo, para prosseguir seus estudos. “Rastros, Pegadas de Mulher”, de Katy Ndiane, aborda as pinturas murais das kassenas de Burkina Faso. “O Colar e a Pérola”, de Mamadou Diallo, é uma carta filmada, de pai para filha e fala do corpo feminino, objeto de sedução e mutilação. Finalmente “Finzan”, de Cheick Sissoko, confronta as tradições de Mali, incluindo a controversa excisão genital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *