Perguntas, respostas e conclusões em pesquisas de opinião (clóvis veronez)

crack

Quem se conforma com a tragédia do Crack? Quem nega a necessidade de politicas públicas para enfrentar a sua tragédia? Quem, mesmo, defende a violência e a estupidez, para tratar a dependência química?

O Jornal Folha de São Paulo, anuncia que João Dória comemorou o resultado da pesquisa do Data folha com a seguinte Manchete:

Dória rompe silêncio e exalta maioria que aprova internar viciados à força

Em seguida apresenta o tema da seguinte forma

O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), rompeu, na manhã deste sábado (3), um silêncio que mantinha em entrevistas nos últimos dias sobre as ações feitas na cracolândia.

Dória voltou a responder sobre esse assunto a jornalistas após pesquisa do Data Folha mostrar, neste sábado, que 80% dos paulistanos defendem a internação à força de usuários de crack. “Eu tenho evitado fazer comentários sobre a cracolândia, mas a pesquisa eu comento sim”, disse Doria.

“Nós não governamos para aqueles que são do grito, governamos para a maioria silenciosa”, afirmou. “A pesquisa reflete um bom sentimento, a atitude correta da Prefeitura de São Paulo, daqueles que têm o melhor sentimento. Não é um sentimento partidarizado. Não é sentimento ideológico”, disse Doria, cuja gestão tem defendido a internação de dependentes químicos à força”.

ESPERA AI, PREFEITO CANALHA, O DATA FOLHA NÃO PERGUNTOU ISSO…

Examinando os resultados da pesquisa é fácil constatar que existe uma clara intenção de “limpar” a barra do prefeito Dória, com relação a ação bárbara que realizou no centro da cidade. E, que a manipulação politica que faz ao apresentar dessa forma a opinião pública sobre o que verdadeiramente perguntou, é grosseira.

Vejamos o que o Data Folha  perguntou…

UM ADULTO DEPENDENTE DE CRACK DEVERIA SER INTERNADO PARA TRATAR SEU VÍCIO MESMO QUE ELE NÃO QUEIRA?

Essa foi a pergunta, com o seguinte resultado:

SIM – 80%

NÃO – 19 %

NÃO SABE – 1%

Ora, pergunte ao próprio “viciado” se ele acredita na necessidade de passar por um tratamento que o livre do vício e o quantitativo das respostas não será diferente. O próprio dependente, admitirá essa verdade. Mas onde está, na pergunta, o tal emprego da força que a Folha e o prefeito apresentam como a vontade incontestável da população?

Em lugar nenhum.

A população de São Paulo não respondeu sobre isso.

Existe um evidente viés interpretativo resultado de outro indutivo, presentes nessa questão.

O Data Folha sabe muito bem.

Todos que trabalham com pesquisas de opinião sabem.

Quem mesmo, defende a violência e a estupidez, para tratar a dependência química?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *