A falácia do mérito e a bolsa de estudos reduzidos do Eduardo Leite (clóvis veronez)

Quando você faz algo,

parece mérito seu tê-lo feito.

Quando você alcança algum resultado positivo,

pode-se dizer que você teve mérito por esse sucesso.

No entanto, quando você vive apoiado em estruturas especiais,

cuidadosamente construídas para facilitar a sua vida,

o que você alcança vem mesmo do que você faz individualmente?

Isso é impossível,

pois não dá para se separar completamente dessas estruturas.

As relações, pouco esclarecidas, entre o ex prefeito Eduardo leite, a organização Comunitas e a Consultoria Falconi, que resultaram na obtenção de uma bolsa prêmio de “estudos reduzidos em gestão pública” na terra de Tio Sam e no suporte financeiro à campanha de Paula Mascarenhas, representam as cores primárias do quadro falacioso pendurado na sala de estar  e no discurso meritocrático das elites.

No que vai resultar, o que agora se revela, é impossível prever. No entanto, pode-se afirmar que o jovem “aristocratístico” político local, bem podia ter dispensado essa mancha no seu curriculum vitae.

Se o que você fez ou conquistou

é uma repetição do sistema,

impulsionado por essas estruturas

que te apoiam, você fez algo de fato,

ou apenas seguiu a inércia

daquilo que já estava armado antes?

Coisas das quais você,

conscientemente ou não, se aproveita.

Então, o que alcança,

mesmo que pareça ter vindo do seu próprio esforço,

vem dessas facilidades que foram criadas para você.

No meio desses suportes, existe algum mérito real?

Precisamos falar dessas coisas.

Ps: versos construídos a partir de recortes jornalisticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *