“Forte aprovação à caravana de Lula”, aponta consultoria que mapeia redes sociais e formadores de opinão (DCM)

logo observatório

A Caravana de Lula está há nove dias na estrada. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva visita municípios do Nordeste. Representa o Partido dos Trabalhadores (PT) e principalmente a si mesmo.

Ontem, no Recife, esteve com a viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, para uma visita pessoal – não política – segundo assessores. A Caravana de Lula tem mais onze dias pela frente. Terminará em 5 de setembro.

O périplo do ex-presidente é visto por participantes do mercado financeiro como uma “prévia de 2018”. Um deles considerou, ontem, ao Casa das Caldeiras que apenas por “grave impedimento”, Lula não estará engajado na campanha eleitoral e “certamente” como candidato a presidente da República.

As andanças dos últimos dias renderam impressionante destaque a Lula, informa a .Map, consultoria dedicada ao mapeamento e análise de discussões de temas nacionais por formadores de opinão na imprensa e nas redes sociais. A .Map é proprietária do IP Brasil – Índice de Positividade Brasil. Quanto mais próximo de 100 está esse indicador, maior é o impacto da informação pesquisada na opinião pública.

A consultoria apurou que a campanha política do ex-presidente pelo nordeste brasileiro, que começou na quinta-feira da semana passada, conquistou 63% de positividade entre os formadores de opinião na imprensa e a população ativa nas redes sociais, na semana terminada na quarta-feira, 23 de agosto.

Esse resultado é considerável. “As manifestações de apoio ao ex-presidente, nas redes, têm origem entre o público em geral, mas, principalmente, no compartilhamento dos tuítes do perfil @LulapeloBrasil”, informa a .Map.

“Eleições 2018” ficou em 2º lugar entre os principais assuntos de política segundo análise da Opinião Pública e da Opinião Publicada. E dominou 48% do debate total da semana.

No último dia de apuração de resultados pela consultoria, quarta-feira passada, Lula trouxe contentamento aos participantes do mercado financeiro. Duas informações chamaram a atenção para a Caravana de Lula: a chegada ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) da sentença em primeira instância que impôs ao ex-presidente nove anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro pelo tríplex do Guarujá; e a afirmação feita por ele à agência Reuters de que “ninguém é insubstituível”.

(…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *