Indignado, ex-funcionário da Globo vazou vídeo de William Waack

O Jornal de todos Brasis

Jornal GGN – Foram dois jovens negros, um deles ex-funcionário da Rede Globo, os autores do vazamento do vídeo de William Waack fazendo comentário racista nos bastidores de uma transmissão sobre as eleições estadunidenses, no ano passado. Diego Pereira era operador de VT na emissora e teve contato com o material.

Tanto Diego quanto o designer gráfico Robson Cordeiro se disseram indignados com o teor da fala de Waack, que atribuiu um protesto de rua com buzinas à “coisa de preto”.

Eles afirmaram à rádio Joven Pan que chegaram a entregar o vídeo a jornalistas, ainda no ano passado, mas o caso teria sido abafado com a desculpa de que Waack não era William Bonner, ou seja, o episódio racista não teria nenhuma repercussão.

Veja, abaixo, trecho da reportagem da Jovem Pan.

A Jovem Pan conseguiu conversar com exclusividade com os responsáveis pelas imagens. São eles: o operador de VT Diego Rocha Pereira, 28; e o designer gráfico Robson Cordeiro Ramos, 29. Ambos também são produtores de uma festa de música negra na cidade de São Paulo.

A imagem original foi obtida por Diego, que é ex-funcionário da Rede Globo. De acordo com ele, a equipe de link externo se preparava para a entrada de Waack com um consultor. Para quem não sabe, mesmo quando não está sendo transmitido na televisão, os operadores têm acesso às imagens do link. “Tudo aconteceu enquanto a produção estava colocando o microfone nele”, explica Diego. “Eu ainda voltei as imagens para ter certeza, não estava acreditando que ele teria falado aquilo. Fiquei tão revoltado que filmei com meu celular”.

Já a divulgação do vídeo foi feita por Robson. “Soltei o vídeo em um grupo de líderes do movimento negro”, afirma. “Mas não foi premeditado essa repercussão, a ideia era mostrar para os amigos que um jornalista influente como ele também poderia ser racista”.

Indagados porque só divulgaram o vídeo agora, quase um ano depois, ambos explicam que já haviam mostrado isso para a imprensa, mas não teve a mesma repercussão de agora. “Chegamos a ouvir, ‘se não é do William Bonner’, não interessa”, diz Ramos.

A dupla também rebate os comentários negativos que estão surgindo na internet. “Se nosso objetivo fosse fama ou dinheiro, teríamos feito antes”,  diz Ramos.

Diego afirma que chegou a perdeu o material em um determinado momento. “O vídeo original ficou em um celular que perdi durante o Carnaval. Mas o Robson tinha ele em um backup, quando foi atualizar o telefone recentemente, o vídeo apareceu”, detalha o operador de VT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *